Viagens pelo Mundo

VIAGENS PELO MUNDO ........ Espaço para dividir minhas experiências de viagens e compartilhar informações sobre turismo... O verdadeiro caminho para suas viagens começa aqui, detalhes de programas,dicas e depoimentos de viajantes,dúvidas e muito mais...participe e opine... Qual o seu destino...Paris, Orlando ou Delhi, Buenos Aires ou Salvador ? Meu trabalho vai além de vender passagens e pacotes,inclue todas as informações que você precisa para fazer uma ótima viagem !

pesquise seu hotel

De Paris a Giverny - Impressionismo de Monet

Pelos caminhos de Monet em Paris e Giverny

Musée de l'Orangerie


O Musée de l'Orangerie é uma galeria de arte impressionista e pós-impressionista, está situado na frente da praça Concorde no interior do Jardim das Tulherias .


Orange em francês quer dizer laranja e este museu,  construído em 1852,  está na antiga estufa onde as laranjas do jardim eram estocadas.
Contém trabalhos de Paul Cézanne, Henri Matisse, Amedeo Modigliani, Claude Monet, Pablo Picasso, Pierre-Auguste Renoir, Henri Rousseau, Chaim Soutine, Alfred Sisley e Maurice Utrillo entre outros.



O Musée de l'Orangerie abriga aquela que talvez seja a obra mais impressionante de Claude Monet: Les Nymphéas (As Ninféias) , Monet pintava às margens de um jardim aquático que ficava em sua propriedade em Giverny, na Normandia. O famoso lago de ninféias foi retratado pelo artista em aproximadamente 300 telas, dentre as quais, mais de 40 em painéis de grande formato.

As telas expostas no museu foram criadas unicamente para ser um presente do pintor à França. O edifício do museu foi escolhido por Monet em 1920 para abrigar as ultimas telas que ele pintaria de seu jardim de ninféias. Durante 7 anos, a chefe de arquitetura do Louvre, Camille Lefèvre coordenou os trabalhos de reforma do edifício seguindo as indicações do próprio Monet. De acordo com o pintor sua idéia é que o museu se torne um refugio de paz e sossego em meio a uma região movimentada da cidade. 
Monet na época

A catarata que castigava Monet em seus últimos dias era tão severa que boa parte da obra foi pintada sem que ele enxergasse as cores com as quais pintava - guiava-se apenas pela disposição das tintas na sua paleta, pois colocava as cores sempre nos mesmos lugares para pintar.
Musée de l'Orangerie
Place de la Concorde Jardin de Tuileries
Metrô: Concorde ou Tuileries linha 1
Ônibus: parada Concorde das linhas 24, 42, 52, 72, 73, 84 e 94
Entrada gratuita para menores de 18 anos

Para saber mais: http://www.musee-orangerie.fr/



Para viver a obra de Monet e suas Ninféias,
uma visita a sua casa em Giverny.




Em Giverny, a 75 km de Paris, encontra-se a casa onde morou Monet por 43 anos, entre 1883 e 1926
Além da visita à casa do pintor e à sua coleção de estampas japonesas, é possível visitar os jardins da casa, que foram pintados repetitivamente por Monet,  a visita aos jardins é como contemplar,  ao vivo, os quadros do mestre do impressionismo.
Como chegar:

  • É fácil ir de trem: na estação Saint Lazare, compre uma passagem para o trajeto Paris/Rouen. Descer em Vernon. A distância entre Vernon e Giverny é de 7 km. Há várias opções para este percurso: pegar um ônibus que sai à cada 15 minutos de Vernon para Giverny; alugar uma bicicleta na estação mesmo;
    ou pegar um táxi.
  • Outra opção é contratar um serviço de motorista, este vai ao hotel para pegar os passageiros e leva à Giverny, aguarda o tempo do  passeio e volta ao hotel no final do dia, os preços variam muito !
  • Há ainda o passeio pelos ônibus da empresa Cityrama/Paris Vision para uma ida e volta de ônibus Paris/Giverny. Os ônibus são confortáveis e guiados por guias bilíngües ,solução prática e econômica.
    Partem do centro de Paris, na Rue de Rivoli 214. O preço  é 75 euros por pessoa.




GIVERNY.... SONHO REALIZADO


Sempre sonhei em conhecer a França, começando por Paris claro, mas tinha um lugar que sempre me atraiu, e pertinho de Paris que é Giverny, cidade minúscula com um pouco mais de 500 habitantes, conhecida por ter sido escolhida por Claude Monet para ser sua residência e criar os seus famosos jardins, que inclusive foi fonte de inspiração para diversos de seus quadros, em Setembro de 2012 finalmente consegui realizar este desejo, aliás Setembro acho o mês ideal, em Giverny tem que andar muito e o clima é bem favorável, não está muito quente, nos meses frios os Jardins são fechados para visitas, embarquei com uma amiga para Paris, e tiramos um dia para conhecer os famosos jardins de Monet, não precisa entender de arte para ficar encantado, a casa é linda, parece que tudo está como ele deixou, a cozinha, os quartos.
 

Casa de Monet em Giverny

 A casa pode ser visitada por dentro, só não pode tirar fotos, mas a gente sempre da um jeitinho.
É uma volta ao tempo, o jardim é encantador, centenas de plantas, em um colorido surpreendente, lagos, peixes, a ponte com visão para os barquinhos e para quem é apaixonada pelas plantas como eu, é o paraíso.

Meire nas escadas da casa de Monet

Para chegar a Giverny existem ônibus de excursão que parte diariamente de Paris,eu como era a primeira vez fui de ônibus, mas da próxima vez talvez me aventure a ir de trem e passear pelos arredores que são muito bonitos .
Fica a dica :
Quando for a Paris vale muito a pena dar uma escapadinha até Giverny, com certeza você não se arrependerá, Giverny deixa sempre um gostinho de quero mais.
 Katia Bap (Meire)  
Nos caminhos floridos
Na ponte de um quadro

O quadro 



paisagem bucólica
Meire vivendo um sonho !




Veneza Eterna !



 Sonho de uma noite em Veneza !

Uma das muitas impressões ao chegar a Veneza é que se está em uma cidade de outro mundo, criada por uma civilização de outra galáxia.
Tão impressionante que é sua arquitetura e suas ruas de água.


Uma cidade flutuante, erguida no meio de um lago, com ruas aquáticas onde veículos (o que inclui ambulâncias, carros funerários, ônibus etc.) são barcos, tudo circundado por vielas, becos, pontezinhas e praças com todos aqueles dourados e surpreendentes detalhes escondidos em sua arquitetura bizantina. Tudo fruto dos muitos povos que passaram pela cidade, que foi importante ponte entre Ocidente e Oriente. ( quem não se lembra das viagens de Marco Polo ?)

 
COMO CHEGAR
O Aeroporto de Veneza (41/260-9260, www.veniceairport.it) está a 12 quilômetros da cidade. Dele, pode-se chegar ao Centro de ferry (www.alilaguna.com) ou de ônibus (www.atvo.it). Trens desembarcam na Stazione di Santa Lucia, que fica às margens do Canal Grande.




COMO CIRCULAR
A pé e de vaporeto, espécie de barco que serve de ônibus. O melhor é comprar um ticket que vale por um determinado período, como um ou dois dias, com direito a quantas viagens quiser.

 A linha mais importante é a de número 1 (que percorre todo Grand Canal). Se for conhecer os distritos de Torcello, Murano e Burano, utilize as linhas LN, 41 e 42 que partem da Fondamente Nuove, em Cannaregio, ao norte da estação ferroviária. Os tíquetes são vendidos em máquinas automáticas ou dentro dos próprios veículos. Se fizer várias viagens e seu hotel não oferecer serviço de traslado, vale a pena pensar em adquirir bilhetes válidos para 12, 24 horas.
Não há transporte terrestre (carros e ônibus) na cidade. Apesar de que, o melhor jeito de conhecer a cidade é se perdendo pelas suas inúmeras ruelas e praças é a pé.

Portanto, esteja em boa forma física para enfrentar as ruelas e canais da cidade.
Uma opção bem mais cara, mas rápida e conveniente, são os táxis aquáticos, que vão direto ao aeroporto.
Para atravessar o Grand Canal nas áreas longe das poucas pontes disponíveis, utilize o traghetto, uma gôndola pública. Custa apenas alguns poucos centavos de euro e o embarque e desembarque é feito em píeres demarcados.




ONDE FICAR
Quartos em Veneza são caros. Os melhores estabelecimentos disponibilizam embarcações que farão a ponte entre a estação ferroviária, o estacionamento ou o aeroporto. Para os menos afortunados, vale a pena considerar ficar em um dos muitos hotéis no entorno da estação ferroviária, nos bairros de Santa Croce e Cannareggio. Isso evitará andar com bagagem para lá e para cá, embarcando e desembarcando dos vaporettos.




O QUE COMER
Você quer um lanchinho rápido, como pizza al taglio ou cicchetos, as tapas italianas? Veneza tem. Quer um jantar estrelado, com cozinha séria, serviço impecável e paisagem deslumbrante? Também tem. Basta um sorvete ou um simples expresso? Vai achar por toda cidade. O único senão será o preço. A cidade cobra caro de seus turistas, com valores exorbitantes.
Casas como o Harry's Bar e o Caffè Florian são famosos por oferecer receitas impecáveis como carpaccio, bellini e chocolate quente, mas quando a conta chega, muitos turistas sentem-se explorados.

Seja como for, não deixe de experimentar receitas clássicas do Vêneto, como os risotos risi e bisi e nero (negro, na tinta de sépia), o sarde in saor (escabeche de sardinha) e o chamativo antepasto veneziano, que traz azeitonas, anchovas marinadas e outros frutos do mar como o caranguejo granceola. E lembre-se que  no norte o arroz e a polenta sobressaem-se sobre as massas.


Informações ao viajante

  • Línguas: Italiano
  • Moeda: Euro ( R$ 2,80)
  • Como ligar para o Brasil: 800-172-211 (Embratel)
  • Visto: Não é necessário.
  • Saúde: Para entrar na Itália, nenhuma vacina é obrigatória.

Melhor época para visitar: De maneira geral, a primavera (março a junho) e o outono (setembro a novembro) são agradáveis, com temperaturas moderadas. Consultar a previsão do tempo é sempre bom. A cidade alaga desde o século 13, quase sempre entre novembro e abril. O motivo resulta de uma combinação de fatores: fortes chuvas, oscilação das marés, a estrutura peculiar da cidade, o aquecimento global etc. 



Roteiro de Viagem :


Dia 1 º  VENEZA
Chegada ao aeroporto Internacional de Veneza. Recepção e traslado ao hotel. Hospedagem.
sugerimos realizar um passeio a noite ate a praça de São Marcos.

Dia 2 º VENEZA - FLORENÇA
Café da Manhã. Visita a pé pela cidade das 118 ilhas, percorrendo entre outros a Basílica de São Marcos, Palácio Ducal, Ponte dos Suspiros, etc. Tempo livre para percorrer por sua conta as labirínticas ruas e canais. Saída de Veneza para chegar a Florença. Hospedagem.

Dia 3 º  FLORENÇA - ROMA
Café da manhã. Pela manhã, visita à cidade, berço do renascimento e da língua italiana. Passeio por esta cidade abundante de Arte, História e Cultura, admirando a Catedral de Santa Maria dei Fiori com seu belo Campanário e o Batistério decorado com as famosas portas do paraíso, e percorrer as ruas por onde passaram personagens tão conhecidos como Miguel Ângelo e Dante Alighieri, continuação com destino a Roma. Hospedagem.

Dia 4 º ROMA
Hospedagem e café da manhã. Pela manhã, visita à Cidade Imperial, percorrendo os Foros Romanos, Coliseu, Arco de Constantino, Praça de Veneza e Praça de São Pedro na Cidade Estado do Vaticano. Restante do dia livre para visitar os Museus Vaticanos e a famosa obra de Miguel Ângelo, a Capela Sistina.

Dia 5 º  ROMA
Hospedagem e café da manhã. Dia livre para atividades pessoais. Excursão opcional a Nápoles, cidade situada junto ao Vulcão Vesúvio que sepultou a cidade de Pompéia no ano de 79 e visitar a ilha de Capri que devido às suas belezas naturais cativou os Imperadores Romanos.

para valores consulte - celticaturismo@uol.com.br


Elza Camargo vivendo um sonho


"O sonho da minha vida: conhecer Veneza.   Aconteceu... Setembro de 2.012
Chegando, eu e minha amiga decidimos nos aventurar, indo de ônibus até Piazzale Roma (Praça em Veneza), para isso contamos com ajuda dos moradores, muito receptivos por sinal.
A realidade é mais linda que os sonhos, as fotos. É simplesmente um encanto, uma cidade flutuante, onde as ruas são circundadas por barcos e gôndolas, passando por vielas, praças, pontes mostrando toda beleza arquitetônica de Veneza.
Não tem como explicar aquelas escadas indo para o rio. É tudo muito mágico,criativo.
Veneza não tem aquele cheiro ruim que muitos comentam, provavelmente devido ao trabalho que vem sendo realizado que é o saneamento dos canais.
Veneza além de seu indiscutível lado romântico tem também seu outro lado que é a alegria contagiante do carnaval.
Então ir a Veneza é andar de gôndola e comprar máscara. Foi o que nós fizemos.
Surpresa total ao embarcarmos na gôndola: Fomos presenteadas com o cantor justamente em nossa gôndola, cantando por todo passeio, nos juntamos às outras gôndolas onde o cantor fez apresentação a todos, com direito a champanhe (em copo de plástico) não importa... O importante foi o momento único que passei em Veneza.
Piazza San Marco (Praça de São Marcos) , onde todos se encontram, todas as raças, línguas, estilos, enfim todas as tribos se juntam para um único objetivo: admirar a Basílica, os pombos, muitos pombos (sagrados para eles), tirar fotos, alias muitas fotos.
Se você tem o sonho de conhecer Veneza, não o deixe aí escondido, PLANEJA E REALIZE, porque passar este sentimento no papel é impossível, é preciso estar lá, viver tudo que vivi para entender.
Eu vejo na internet muitas pessoas que visitam Veneza e depois reclamam dos pombos e dos preços. Olha,se você vai a Veneza respeite a cultura de seus povos,pois os pombos para eles são sagrados,e, os preços são caros sim,mas isto é no mundo todo,onde tem turista o preço é alto mesmo,portanto o planejamento é essencial para não se decepcionar depois.
Dica: Setembro é um mês ideal, a temperatura é super gostosa, não é frio, não chove e também não é muito quente.
Tem uma frase que nunca esqueço e faz parte da minha vida :
“A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.”
Charles Chaplin
Perfeita não? " 
Elza Camargo

Elza Camargo e sua máscara veneziana





 
Elza Camargo na Praça de São Marcos